Tipos de piscinas: vantagens e desvantagens

piscina-alvenaria-claudia.abril.com.br

Hoje falaremos sobre 8 tipos de piscinas, iniciando pela mais conhecida e utilizada atualmente:

Piscina de fibra de vidro.

Esse tipo de piscina piscina é amplamente utilizado, devido à praticidade e preço mais acessível, além da agilidade na instalação.

Vantagens da piscina de fibra:

Como é uma piscina pré-fabricada, em poucos dias já está instalada e pronta pra uso; basta que o local esteja preparado previamente para receber a piscina (alvenaria e casa de máquinas).

Por possuir superfície lisa, não há formação de algas, facilitando a limpeza e manutenção; além disso, possui pouca chance de vazamento, desde que não se retire mais da metade da água da capacidade da piscina, pois a pressão pode ocasionar pequenas fissuras, que resultarão em vazamentos.

Apesar de fácil limpeza, a superfície da fibra é sensível a manchas e arranhões, por isso deve-se tomar cuidado ao usar cloro (principalmente
tricloro granulado – o que pode ocasionar manchas amareladas).

Nunca utilizar materiais abrasivos, como esponjas ásperas e escova de aço.

Esteticamente, um ponto negativo é a pouca variação de formatos, o que limita bastante o design do ambiente de lazer, ficando restrito ao que as fábricas disponibilizam.

Imagem disponível no Pinterest.

Piscina de concreto armado/alvenaria

A principal vantagem da piscina de concreto armado é a adaptação ao espaço, ou seja, a versatilidade ao se criar o modelo de acordo com o tamanho e formato do terreno disponível para a área de lazer.

Essa vantagem possibilita dar asas à imaginação, criando-se modelos e adaptando-os ao gosto do cliente.

Além disso, as piscinas de concreto armado suportam diferentes acabamentos, variando desde os tradicionais azulejos e pastilhas, até pedras naturais e porcelanatos.

Desvantagens:

Por ser uma piscina projetada, ela tem que ser bem executada, levando-se em conta a densidade do solo, estrutura e impermeabilização.

Para que se evite vazamentos futuros, deve-se proteger com manta asfáltica e camadas de impermeabilizante, o que trará segurança e conforto ao longo do tempo de uso.

Com relação aos preparos e tratamentos anteriores, o tempo de construção é considerado elevado, podendo variar entre 45 e 50 dias.

Devido à flexibilidade de formato e também aos preparos na construção, a piscina de concreto armado é uma das mais caras, perdendo somente para as piscinas de vidro quando o assunto é orçamento.

Cuidados com limpeza da piscina de concreto:

Os cuidados com manutenção da piscina vai depender um pouco do acabamento escolhido, ou seja, se azulejo, pastilhas ou pedras naturais, mas no geral demandam um trabalho razoável, ou seja, o proprietário mesmo poderá cuidar, caso deseje.

Deve-se utilizar escova de aço para retirar as algas das paredes da piscina ( tomar cuidado, pois apesar de não reagirem ao cloro, as escovas de aço mancham a piscina ao contato com algicida à base de cobre).

Cuidado com os rejuntes – o ÚNICO rejunte indicado é o epóxi. Não tem outro, devido à alta impermeabilidade. Os rejuntes devem ser limpos de tempos em tempos, para evitar proliferação de algas.

Imagem disponível no Pinterest. Fonte: claudia.abril.com.br

Piscina de placa pré-moldada

As placas pré moldadas para construção de piscinas são uma excelente alternativa para ganhar tempo e mão-de-obra, porque, como o nome já sugestiona, são pré-fabricadas sob medida.

A preparação do terreno é igual a uma piscina de alvenaria comum, porém,
antes mesmo de entrar com as placas de concreto, tem que pensar na parte hidráulica, porque muita coisa vai ficar logo abaixo do piso da piscina (como a válvula de piso).

As placas são feitas sob medida e montadas na obra; devem ser concretadas por trás, para fazer o fechamento da piscina e garantir a sustentação e vedação adequadas.

Nesse caso, deve-se deixar um vão de 40 cm por trás das placas (entre as placas e a parede do terreno) para possibilitar que o funcionário possa fazer a concretagem da piscina por trás.

A armação do piso tem que ser feita na obra, mas a armação das paredes da piscina já está embutida nas placas, o que facilita muito a montagem da piscina, ganhando tempo de obra.

Existe também placa pré-moldada para bordas, feitas sob medida.

Cuidados na instalação: dar especial atenção à impermeabilização, procurando usar produtos de boa qualidade. Primeiro deve-se rebocar as placas por dentro da piscina para, depois, entrar com as demãos de impermeabilizante – no geral são necessárias 5 demãos – seguindo as especificações do fabricante.

O rejunte dos azulejos, peças de porcelanato ou pedras deve, necessariamente, ser de epóxi (como já mencionei anteriormente), porque é mais impermeabilizante que o rejunte comum.

Fonte: Doma Arquitetura: https://youtu.be/AHTUjEnNF7s

Piscina de vinil

O vinil é um material altamente versátil, podendo aderir a qualquer tipo de formato que seu projeto suportar.

Possui quase que as mesmas características da piscina de concreto armado, com a diferença de que o vinil é o revestimento em si, e na piscina de concreto é o azulejo, pedra ou pastilha que revestem as paredes e fundo.

A instalação do vinil é mais rápida do que o revestimento da piscina de alvenaria pura. A colocação do material não demanda muito tempo, como azulejos, por exemplo.

Além disso, outro ponto vantajoso, assim como nas piscinas de fibra de vidro, é a fácil manutenção, podendo-se utilizar materiais não abrasivos, como esponjas macias, tomando cuidado com objetos cortantes e pontiagudos durante a limpeza e utilização da piscina para lazer.

Apesar do baixo custo, o vinil tem vida útil relativamente alto: em torno de 10 anos. Antigamente durava bem menos, o que era uma desvantagem na relação custo/benefício. A tecnologia atualmente empregada na fabricação aumentou muito a vida útil do vinil.

Importante: para encher a piscina de vinil é necessário caminhão pipa, evitando-se enrugamento do material e possíveis danos futuros. Isso pode ser uma desvantagem para alguns terrenos de difícil acesso.

Imagem disponível no Pinterest. Fonte: hometeka.com.br

Imagem disponível no Pinterest. Fonte: vivadecora.com.br

Piscina portátil: de plástico ou lona

A mais popular entre todas as piscinas, presentes em 90% das casas mais simples, é a piscina portátil. A praticidade aliada ao custo/benefício a faz uma das mais conhecidas e utilizadas.

Hoje em dia existem piscinas portáteis com bomba , escadas e até aquecimento, com instalação simples e prática (tomando-se o cuidado de forrar a superfície, que deve ser plana).

Porém , se está buscando beleza e design, a piscina portátil deixa a desejar.

Mas sabia que dá para dar uma incrementada nela?

Uma das opções é “enterrar” a piscina! Ou melhor, envolvê-la em alvenaria e placas de poliestireno expandido, ou mesmo envolvê-la em uma moldura de madeira ou pallet. Alternativa bem mais acessível que a piscina de alvenaria/vinil.

Com capacidade variável, pode-se escolher de 20 mil a 50 mil litros ou mais e fazer uma bela piscina gastando uma grana relativamente baixa.

Caso opte por utilizar a piscina de forma temporária, portátil, ela não requer manutenção periódica, como as piscinas tradicionais. Porém, se for “enterrar”, então deverá ter motor, com casa de máquina de alvenaria.

Encontrei alguns modelos bem interessantes de piscinas “enterradas” e também envoltas em molduras de madeira ou pallet (nesse caso elas não são enterradas)… veja exemplos:

Fontes: https://www.decorfacil.com/piscina-de-pallet/ e https://youtu.be/lMMOlawmHcc

Passo-a-passo para “enterrar” uma piscina de lona:

Primeiro deve-se cavar um vão com a mesma profundidade da piscina, deixando 1 metro a mais de cada lado.

Preencher o fundo com areia fina socada, depois nivelar com areia média peneirada.

Depois disso é hora de posicionar a piscina seguindo as especificações do fabricante. Montar a piscina com os suportes originais dentro do espaço cavado no terreno, encher a piscina com água e, em seguida, fazer alvenaria ao redor dela, preenchendo com placas de poliestireno expandido os possíveis vãos entre os blocos e a piscina, à medida que for subindo a parede ao redor.

Durante a construção da alvenaria ao redor da piscina, deve-se fazer a casa de máquina e filtro, que estará acoplada à alvenaria que envolve a piscina.

Depois de terminada a construção da parede de sustentação da piscina, preencher com terra o vão entre a alvenaria e o terreno e fazer o piso de

concreto, finalizando o acabamento com pedra antiderrapante.

Fonte: https://youtu.be/6y9rA6nuyZw

Piscina de vidro

Uma das mais caras do mercado, envolve material especial: o vidro laminado (material plástico + fibra de vidro). O vidro laminado é altamente flexível, importante característica para suportar a pressão da água ocasionada pelo volume.

Falou em piscina de vidro, falou em sofisticação e elegância. Piscinas desse tipo são utilizadas em residências de altíssimo padrão, resorts e hotéis de várias estrelas.

Podem ser diferenciadas no design, imprimindo valor decorativo ao ambiente. As piscinas de vidro são um show à parte da decoração da casa/empreendimento.

A construção de uma piscina de vidro deve preceder um projeto minuciosamente de acordo com as normas de segurança que o vidro requer. Seguindo-se as recomendações, torna-se um dos materiais mais seguros e resistentes na utilização em piscinas.

Imagem disponível em: decorsalteado.com/2014/02/piscinas-de-vidro-modernidade-e.html

A inovação: piscina de areia

Essa é para os “endinheirados”… 

Construídas em concreto armado e finalizadas com uma mistura de areias minerais e resina, as piscinas de areia têm o aspecto final de uma praia artificial, proporcionando, além de um visual tropical ao projeto, uma área exótica e única, ao gosto do cliente requintado.

A piscina pode ser projetada do tamanho que se queira e pode conter leds e bombas, hidromassagem.

O primeiro passo para a construção é, claro, a escavação, que segue o projeto detalhado pelo arquiteto.

Em seguida, instalam-se a ferragem e o material necessário para tubulação da bomba e a fiação dos equipamentos.

Depois de tudo isso definido e instalado, vem o concreto – 1 camada generosa de 15 cm -, seguida de impermeabilizante, para evitar fissuras e vazamentos.

A finalização, que dará o aspecto praia, é feita com uma mistura de areia mineral (ou seja, não artificial) e resina, proporcionando uma superfície antiderrapante, de fácil limpeza  
e totalmente segura e atérmica, ou seja, não “queima” ao contato com a pele.

Limpeza: os cuidados com a piscina de areia são os mesmos exigidos com qualquer piscina de alvenaria.

São necessários apenas um aspirador de piscina (manual ou elétrico) e uma rede para recolher sujeiras da superfície, como folhas e insetos. 

Fiz orçamento no site piscinasdeareia.com.br e a medida mínima que eles projetam é de 30m² (8×5). O valor aproximado é de R$ 62.000,00 para uma piscina construída em Campinas/SP (valor de julho/20).

Então, se você ou seu cliente possuem essa grana para investir, com certeza o projeto da residência será muito valorizado com essa piscina!

 

Imagens disponíveis em: http://www.piscinasdeareia.com.br/galeria/

Piscina Container

Uma das opções mais práticas, a piscina container vem ocupando espaço no mercado.

Os containers marítimos são descartados depois de 10 anos de uso, gerando impactos no meio-ambiente (como a emissão de carbono) por 100 anos, até a total degradação.

Além de colaborar para a sustentabilidade do ambiente, a piscina container é uma excelente opção, devido ao baixo custo e praticidade na instalação.

A casa de máquina e todos os equipamentos (bombas, luzes led) já vêm acoplados ao container, sendo necessário somente o espaço para receber a piscina. 

Disponível em 2 medidas: 6m e 12m de comprimento, por 2,5m de largura e 1,40m de profundidade (algumas empresas fornecem com 1m de profundidade), é uma excelente opção para quem gosta de praticar natação e também atende às crianças, já que não é muito profunda.

A piscina container proporciona um toque de modernidade ao projeto, além de baixo custo.

Com diferentes aspectos, a piscina pode ser feita “a gosto do freguês”: revestida com fibra, acoplada com degraus, que servem como bancos, e até incrementadas com visores de vidro.

Para receber a piscina é necessário nivelar bem o piso e prepará-lo para evitar corrosão do container.

A superfície deve ser coberta com pedra calcária e por cima deverá vir uma pintura anticorrosiva.

Apesar do fácil transporte, pois o container e a casa de máquinas são acoplados em apenas 1 peça, é necessário um caminhão munck ou guindastes no posicionamento, devido ao peso. 

Porém isso não deve ser um problema para a maioria dos projetos, se bem planejados.

Com várias as opções  no mercado, com certeza uma combinará perfeitamente com seu projeto!

A piscina container é uma opção  super prática, sustentável, tecnológica e mais barata que uma piscina de alvenaria. Vale investir nessa inovação! Veja algumas ideias:

Imagens disponíveis em: https://tggroup.com.br/blog/piscina-container-sim-nos-fazemos/

São inúmeras as opções para construção de piscinas, das mais simples e acessíveis, às mais luxuosas.

Piscinas dão um aspecto especial à propriedade, proporcionando valor estético e de qualidade de vida.

Há opções para todos os gostos e bolsos. Depende exclusivamente do profissionalismo e imaginação do arquiteto.

Uma boa pesquisa por referências (como este artigo) lhe ajudará alcançar o desejo do cliente sem sair do orçamento, ou usar todo o orçamento o cliente – aí vai da capacidade financeira de cada um…

Qualquer que seja o orçamento, é plenamente possível implantar piscinas bem estruturadas, pensadas para agregar valor estético e agradável ao ambiente.

 

Gostou artigo? Veja mais detalhes no vídeo lá no meu canal: 

Já é inscrito(a)? Inscreva-se no meu canal! Acompanhe o “DIÁRIO DE OBRA” pelo Youtube e todos os dias no Instagram!

Outras fontes de pesquisa:

  • https://youtu.be/lMMOlawmHcc
  • https://youtu.be/sRyRkt8MxKw
  • https://youtu.be/ppxu6JUKf7M
  • https://youtu.be/2KEy-CPGpmM

Compartilhe:

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Roberta Vendramini

Idealizadora do “Cursos Construir”, criado há quase 7 anos, Roberta é Professora, Arquiteta e ama ensinar! Certificou milhares de alunos no Brasil, Portugal e outros países de Língua Portuguesa. Iniciou na carreira com escritório próprio, foi docente em Universidades e mestranda na área BIM. Atualmente faz carreira na educação, direcionando todo seu tempo e conhecimento para videoaulas, blogs, páginas e grupos no Facebook voltados para cadistas, projetistas e alunos de Engenharia e Arquitetura.

Deixe uma resposta

Sobre a Autora

Roberta Vendramini

Idealizadora do “Cursos Construir”, criado há quase 7 anos, Roberta é Professora, Arquiteta e ama ensinar! Certificou milhares de alunos no Brasil, Portugal e outros países de Língua Portuguesa. Iniciou na carreira com escritório próprio, foi docente em Universidades e mestranda na área BIM. Atualmente faz carreira na educação, direcionando todo seu tempo e conhecimento para videoaulas, blogs, páginas e grupos no Facebook voltados para cadistas, projetistas e alunos de Engenharia e Arquitetura.

Siga-me

Posts

Tags